Mais de 360 mil malwares foram lançados por dia em 2020, aponta relatório

Views: 171
0 0
Read Time:1 Minute, 48 Second

Com uma grande quantidade de empresas migrando parte da sua força de trabalho para o home office, 2020 acabou se mostrando um ano produtivo para os cibercriminosos. Mais de 360 mil malwares foram lançados por dia atacaram as redes domésticas. Não só isso, os hackers aproveitaram essa vulnerabilidade se tornando mais produtivos na criação de novos malwares.

De acordo com um levantamento da Kaspersky, a quantidade levantada foi lançada todos os dias ao longo do ano, o que representa um aumento de 5,2% em relação a 2019.  Os trojans e backdoors em particular tiveram aumentos de, respectivamente, 40,5% e 23%.

“Devido à pandemia, usuários do mundo inteiro foram forçados a passar mais tempo em seus dispositivos e online. É difícil saber se os atacantes estiveram mais ativos ou se nossas soluções detectaram mais arquivos maliciosos, simplesmente, porque a atividade foi maior. Pode ser uma associação dos dois fatores”, avalia Denis Staforkin, especialista em segurança da Kaspersky.

Cavalo de Tróia/símbolo de um cavalo de Tróia vermelho no fundo da placa de circuito do computador azul fazendo alusão aos malwares lançados por dia durante o ano de 2020
Em geral, a porcentagem de trojans detectados aumentou 40,5% em 2020. Imagem: wk1003mike/Shutterstock

Boletim de Segurança da Kaspersky 2020 ainda aponta que a maioria dos malware detectados (89,80%) ocorreram via arquivos Windows PE (um formato de arquivo específico dos sistemas operacionais Windows). Isso reflete a mudança dos próprios usuários, que passaram a trabalhar e estudar em casa, pelo PC ou notebook, fazendo com que novas ameaças relacionadas ao sistema operacional móvel Android caíssem 13,7%.

Outro reflexo do maior uso da internet doméstica foi o crescimento de 27% no número de scripts enviados em campanhas de e-mails maliciosos ou encontrados em sites infectados. “Neste ano, registramos um aumento notável no número de novos arquivos maliciosos, e é provável que isso continue em 2021, pois os profissionais continuam trabalhando de casa e cada país implementa restrições diferentes”, afirma Staforkin.

Os analistas também observaram um crescimento no número de backdoors detectados e de worms (programas maliciosos que se autorreplicam em seu sistema) escritos na linguagem VisualBasicScript. Já o adware (programas que bombardeiam os dispositivos com publicidade) está em declínio, com uma redução de 35% em relação a 2019.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Malware Sunburst usou software comprometido para atacar plataforma Orion, da SolarWinds
Next post Intel, Nvidia e Microsoft usaram software afetado por hackers

Deixe um comentário