Fornecedora da Apple é invadida por hackers que pedem R$ 174 milhões em Bitcoin

Views: 197
0 0
Read Time:1 Minute, 54 Second

Ransomware que invadiu o escritório da Foxconn pede resgate em criptomoedas para restabelecer o site da empresa.

A empresa Foxconn sofreu um ataque hacker recentemente que exigiu um pagamento de ‘resgate’ em criptomoedas. Com a invasão, a fornecedora da Apple deveria pagar quase R$ 174 milhões aos criminosos para ter acesso ao site de volta.

Conhecida por fornecer dispositivos para Apple e para outras empresas de tecnologia, o ataque contra a Foxconn aconteceu precisamente no escritório localizado em Ciudad Juárez, no México.

Resgate em Bitcoin

O sistema da Foxconn foi invadido por hackers no dia 29 de novembro de 2020. Desde então, a empresa parece não ter recuperado o acesso ao site do escritório localizado no México, que continua fora do ar.

Embora a Foxconn não tenha comentado o ataque hacker publicamente, a invasão aconteceu apenas no escritório que fica em Ciudad Juárez, e que atende aos negócios da empresa na América do Sul e do Norte.

No total, os hackers pedem 1.084 unidades de Bitcoin (BTC), ou ainda quase R$ 174 milhões considerando a cotação da criptomoeda nesta terça-feira (8). O pagamento do resgate em Bitcoin deve ser feito em até 21 dias logo após o ataque hacker.

Ransomware DoppelPaymer

O ransomware DoppelPaymer é o responsável pela invasão contra o sistema da Foxconn que resultou em um pedido de resgate em Bitcoin de cerca de R$ 174 milhões.

O resgate em criptomoedas foi solicitado para a Foxconn pelos hackers como forma de impedir a divulgação de dados, além de restabelecer o sistema e o site da empresa de componentes eletrônicos.

Sendo assim, nesta segunda-feira (8) parte dos dados que foram roubados da empresa foram divulgados pelo site do ransomware DoppelPaymer. O software malicioso possui um site onde divulga documentos roubados de empresas que são chantageadas com pedidos de resgate em criptomoedas.

Com o ataque contra o escritório da Foxconn foram criptografados cerca de 1.200 servidores que pertencem a empresa. No total, foram roubados mais de 100 GB em arquivos da ‘fornecedora da Apple’.

Além da Foxconn, a Visser Precision enfrentou um ataque semelhante no início de 2020. Conhecida por prestar serviços para as gigantes SpaceX e Tesla, a empresa foi invadida pelo mesmo ransomware, que exige resgate em Bitcoin.

FONTE: COINTELEGRAPH

Previous post Amnésia:33 vulnerabilidades impactam milhões de dispositivos inteligentes e industriais
Next post Site para eleição do Vasco expõe dados dos sócios torcedores

Deixe um comentário