Check Point lança plataforma de cibersegurança com recursos de inteligência artificial

Views: 127
0 0
Read Time:1 Minute, 30 Second

A nova plataforma automatiza a administração e gerenciamento de segurança reduzindo em 90% o tempo de instalação

A Check Point anuncia sua próxima geração de plataforma unificada Check Point R81, a qual é a primeira do mercado até o momento a oferecer prevenção automatizada contra ameaças e projetada para toda a empresa distribuída, de modo a permitir que a equipe de TI gerencie os ambientes de rede mais complexos e dinâmicos de maneira fácil e eficiente.

As empresas têm acelerado seus programas de transformação digital e alterado as prioridades de TI face à pandemia da COVID-19, agravando, por conseguinte, a sua exposição a riscos e a complexidade de gestão de colaboradores, principalmente aqueles que agora trabalham remotamente.

De acordo com recente pesquisa da Check Point, 71% dos profissionais de segurança confirmam um aumento do número de ciberameaças desde o início da pandemia. Lidar com a necessidade de melhor segurança e menos complexidade exigiu a consolidação e automação de tecnologias, processos e políticas de prevenção de ameaças para tornar a proteção mais inteligente e eficiente em redes distribuídas complexas das organizações.

“O gerenciamento da segurança de TI, hoje, está mais difícil em função do maior número de dispositivos, aumento das ameaças e mais aplicações distribuídas pelo datacenter, rede e múltiplas plataformas de nuvem. Para acompanhar tudo isto, as empresas precisam de uma política de segurança consistente, um gerenciamento de ameaças unificado e de automação para evitar as ameaças mais recentes”, afirma Chris Rodriguez, gerente de pesquisa de segurança de rede da IDC.

“A plataforma de gerenciamento de segurança automatizada R81 da Check Point unifica e simplifica a gestão de ameaças por meio da instalação rápida de políticas de segurança, atualizações de software de gateway zero touch, perfis de segurança e prevenção de ameaças baseada em Inteligência Artificial (IA)”.

FONTE: IP NEWS

Previous post 5G, uma ameaça à cibersegurança?
Next post Nova falha no sistema de segurança do Ministério da Saúde expõe dados de 243 milhões de brasileiros

Deixe um comentário