Relatório de Espionagem Cibernética da Verizon

Views: 69
0 0
Read Time:1 Minute, 25 Second

A Verizon, a gigante de telecomunicações da América, divulgou um primeiro relatório do tipo Cyber Espionage depois de analisar dados coletados de suas investigações sobre violações de dados e pesquisa de ameaças.

A gigante de Telecomunicações diz que seu Relatório de Espionagem Cibernética pode atuar como uma força norteadora para os profissionais do campo de segurança cibernética estão em constante busca de melhorar a postura de defesa cibernética de suas organizações e a resposta a incidentes.

Achados vitais no relatório sugerem que entre aqueles que conduzem espionagem mais de 85% dos atores estavam ligados a estados, 8% a nações e 4% estavam ligados ao crime organizado. O interessante é o fato de que mais de 2% dos atores de ameaça foram encontrados como ex-funcionários.

Os setores empresariais que foram profundamente impactados pela espionagem cibernética nos últimos 7 anos são empresas do setor público, indústrias de manufatura, indústrias profissionais e relacionadas à informação, juntamente com as indústrias de mineração, educação e finanças.

Enquanto as indústrias do setor público sofreram o impacto com 31% das violações de dados registradas, a manufatura e o setor profissional testemunharam 22% e 11% das violações em uma respectiva nota.

A Verizon descobriu em seu estudo que uma organização pode ser facilmente comprometida em segundos. Mas o hack pode levar anos para ser detectado. De acordo com as estatísticas da pesquisa, as mais comuns entre as violações foram os aplicativos web que compõem até 27% das violações, enquanto 14% estavam ligados a erros diversos e a rermaining estava relacionada a outros.

Pesquisadores notificaram que as táticas de espionagem são muito difíceis de detectar, e assim os números violados podem ser muito mais do que registrados.

FONTE: CYBERSECURITY INSIDERS

Previous post 56% das organizações enfrentaram um ataque de ransomware, muitas pagaram o resgate
Next post Ataques de ransomware a um em cada quatro provedores SaaS

Deixe um comentário