Setor financeiro aposta em IA para proteção contra ataques cibernéticos

Views: 122
0 0
Read Time:2 Minute, 27 Second

O Cyber Secure, da Mastercard, avalia riscos utilizando Inteligência Artificial avançada e produz uma classificação de risco para seus usuários, bancos e comerciantes


A Mastercard traz ao mercado o Cyber Secure, seu primeiro pacote de ferramentas baseado em Inteligência Artificial que permite que os bancos avaliem o risco cibernético em seu ecossistema e evitem possíveis violações. Com o novo recurso, os bancos podem identificar e priorizar ameaças e vulnerabilidades em todo o ambiente cibernético. Além disso, os bancos adquirentes poderão ajudar seus comerciantes a compreenderem seu próprio risco cibernético, evitando fraudes que poderiam custar centenas de milhões de dólares.

À medida que a economia digital cresce – tanto em tamanho quanto em complexidade, aumentam os pontos vulneráveis que podem estar sujeitos a ataques. Um exemplo disso é o rápido avanço da Internet das Coisas – 2,5 quintilhões de bytes de dados são gerados pelas pessoas e seus dispositivos todos os dias, com 90% disso gerado apenas nos últimos dois anos . Com isso, estima-se que, no próximo ano, a cada 11 segundos uma empresa será vítima de um ataque de ransomware.

“O mundo hoje enfrenta um problema de violações cibernéticas que representam US$ 5,2 trilhões , esta é uma das maiores ameaças à confiança do consumidor. Na Mastercard, nosso objetivo é estar sempre à frente dos fraudadores e continuamente evoluir e aprimorar nossa proteção de ambientes cibernéticos para nossos clientes bancários e comerciais. Com o Cyber Secure, temos um conjunto de recursos cibernéticos movidos por IA que nos permite fazer exatamente isso, assegurando confiança em todas as experiências, tanto para empresas como para consumidores”, disse Ajay Bhalla, Presidente de Cyber & Intelligence da Mastercard.

O Cyber Secure é um grande passo para a contínua quantificação e priorização das vulnerabilidades cibernéticas. Ao empoderar os bancos com a capacidade de monitorar e rastrear continuamente sua postura cibernética, isso leva o setor a um estado mais proativo no gerenciamento e prevenção do comprometimento de dados, protegendo a integridade do ecossistema de pagamentos e dos dados do consumidor. Além disso, ajuda a reduzir as perdas financeiras resultantes de ataques, economiza tempo e recursos e fornece uma visão abrangente do risco cibernético por meio de um único aplicativo.

Com base nos recursos da RiskRecon, adquirida pela Mastercard em 2020, a avaliação de risco é realizada usando IA avançada que combina várias fontes de dados públicas e proprietárias. A IA avalia os dados sob 40 critérios de segurança e infraestrutura, com uma análise do impacto e da importância de cada vulnerabilidade para produzir uma classificação de risco cibernético e um navegador de prioridade de problemas.

Em 2019, a Mastercard economizou para as partes interessadas US$ 20 bilhões em fraudes por meio de seus sistemas cibernéticos habilitados com IA. O Cyber Secure é uma parte fundamental da estratégia de segurança cibernética de múltiplas camadas da Mastercard para proteger o ecossistema, preservar os ambientes cibernéticos, definir os padrões do setor e colaborar entre os setores.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Governos têm falhas de segurança em 80% de suas aplicações
Next post Empresas em todo mundo aceleram digitalização e cibersegurança com a pandemia

Deixe um comentário