5 passos essenciais para melhorar a maturidade da segurança cibernética

Views: 122
0 0
Read Time:4 Minute, 24 Second

De pequenas e médias organizações a grandes empresas, todas as empresas estão sob contínua ameaça de risco à segurança no mundo digital atual. Com a crescente pegada digital e a adoção em nuvem, as organizações continuam a experimentar ameaças cibernéticas sofisticadas que têm o potencial de interromper a continuidade dos negócios.

A grande maioria dessas ameaças pode passar despercebida, ou podem ser detectadas tarde demais para uma organização evitar a exposição e os riscos associados. Assim, uma estratégia de cibersegurança meramente focada na prevenção de ataques cibernéticos é inadequada. Para garantir ativos críticos e talvez até mesmo o próprio negócio, as organizações devem mudar seu foco para detecção e resposta.

A estratégia de segurança cibernética deve ser amadurecida o suficiente para ajudar as organizações a operar com segurança, permanecer vigilante diante das ameaças cibernéticas e mostrar resiliência quando atacadas. Mas as restrições orçamentárias e a incapacidade da equipe de TI de acompanhar as ameaças conhecidas e emergentes podem impedir a maturidade de segurança cibernética da organização. De fato, de acordo com uma pesquisa de segurança cibernética de 2020,apenas 57% das operações de TI e os tomadores de decisão de segurança identificaram as funções de cibersegurança de sua organização como maduras. Nesta conjuntura, trazemos cinco passos críticos para melhorar a maturidade de segurança cibernética da sua organização e se tornar mais seguro, vigilante e resiliente.

Os cinco passos para melhorar a maturidade da segurança cibernética

Investimentos em tecnologia não igualam a maturidade

Embora as organizações estejam investindo continuamente em ferramentas de segurança cibernética, isso não significa automaticamente que todas as possíveis lacunas de segurança sejam tratadas.

Com o aumento dos custos das ferramentas de segurança e a redução dos orçamentos, as organizações devem adotar uma abordagem baseada em riscos e priorizar investimentos em segurança para lidar com questões críticas e vulnerabilidades.

Invista em medidas de cibersegurança muito maduras, econômicas e capazes que possam impulsionar a maturidade da segurança cibernética em vez de perseguir as soluções mais recentes.

Priorizando a proteção do endpoint

Os cibercriminosos estão aproveitando tecnologias avançadas como Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) para atacar os pontos finais da organização, tornando a proteção de endpoint um objetivo imperdível de cibersegurança no mundo atual orientado por dados.

De acordo com a pesquisa recente da IDC,quase 30% das organizações globais consideram a proteção de endpoint um componente significativo na estratégia de segurança cibernética, enquanto 60% dos líderes de TI a consideram uma alta prioridade.

No entanto, apenas 57% das organizações dizem que são mais maduras em segurança de endpoint, enquanto mais de 40% não são.

Siga estas etapas para melhorar a proteção do ponto final:

  • Analise perfis de risco de vários pontos finais.
  • Priorize ativos críticos ou de risco, como servidores e sistemas de usuário final.
  • Atualizar redes e dispositivos IoT.
  • Criptografe todos os dados.
  • Implementar a política BYOD.
  • Implantar software de proteção de ponto final

Automatizar a cibersegurança

Implantar tecnologias como inteligência artificial e aprendizado de máquina para automatizar tarefas de segurança cibernética, como identificar potenciais ameaças, detectar acesso não autorizado e prevenir ataques antes da execução. As soluções automatizadas de cibersegurança ajudam a avaliar métricas de segurança, reduzir o tempo de resposta a incidentes e limitar a pegada de ataque cibernético.

Além disso, a automação permite que a equipe de segurança concentre seus esforços em ameaças de alto risco, em vez de em tarefas repetitivas e tediosas.

Adote o Modelo de Maturidade da Cibersegurança

Muitas organizações tentam validar e medir sua maturidade de segurança cibernética contando o número de vulnerabilidades que abordaram ou verificando todas as caixas para atender à conformidade normativa.

No entanto, essas abordagens estão muito longe de dar uma indicação real de sua maturidade de segurança cibernética ou fornecer uma estrutura para melhorias.

Portanto, é imperativo que as organizações adotem um modelo de maturidade de segurança cibernética para medir a maturidade de um programa de segurança e saber como alcançar o próximo nível.

O National Institute of Standards and Technology’s Cybersecurity Framework (NIST CSF) e o Cybersecurity Capability Maturity Model são dois dos vários modelos disponíveis no mercado.

Foco na conscientização sobre segurança cibernética

A tecnologia sozinha não pode reforçar a postura de segurança cibernética da sua organização. Em meio à crescente complexidade e ameaça de ataques cibernéticos,as organizações devem estar focadas na construção de uma defesa em várias camadas.

O treinamento e a conscientização de cibersegurança entre todos os funcionários e parceiros podem ajudar as organizações a construir uma “última linha de defesa” para muitas ameaças atuais. É importante educar os funcionários e ajudá-los a entender que os desafios de segurança cibernética são um problema de negócios e não apenas um problema de TI.

À medida que as ameaças cibernéticas evoluem com o tempo, as organizações devem realizar regularmente programas de treinamento e conscientização para fazer um esforço sincero para educar seus funcionários.

Conclusão

Melhorar a maturidade de segurança cibernética da sua organização não acontece rapidamente. Mas isso tem que acontecer para sobreviver em meio à evolução da paisagem digital e às ameaças cibernéticas emergentes.

As organizações não só exigem essas cinco etapas cruciais, mas também exigem uma avaliação constante de quão efetivamente as etapas são implementadas e se essas etapas estão alinhadas com as metas do negócio.

FONTE: TRIPWIRE

Previous post Testes automatizados de penetração podem substituir humanos?
Next post Maiores pontos de dor da WAN: segurança e flexibilidade de serviço

Deixe um comentário