Thales alerta sobre os riscos vinculados ao crime cibernético em sua nova edição do “Manual de Ciberameaças (CyberThreat Handbook): o cibercrime organizado”

Views: 87
0 0
Read Time:3 Minute, 12 Second

As Nações Unidas e a Accenture estimam que o cibercrime organizado custará à economia global cerca de US $ 5,2 trilhões entre 2020 e 2025. Com isso em mente, especialista em segurança cibernética da Thales alertam sobre crimes cibernéticos, afirmando que é uma das ameaças mais perigosas da atualidade para empresas, organizações e instituições.Com a edição anual do seu Manual de Ciberameaças (The Cyberthreat Handbook) sobre cibercrime, a Thales descriptografa essa rede bem organizada que permite que os cibercriminosos misturem técnicas e ataques cibernéticos com outras formas de criminalidade.Para enfrentar esses riscos e estar melhor preparado, os especialistas da Thales apresentam, por meio deste novo relatório, o modus operandi dos cibercriminosos e as formas de combatê-los.

Para a edição 2020 de Les Assises de la Sécurité, a Thales lança uma nova edição do seu Manual de Ciberameaças, este ano dedicado aos criminosos cibernéticos. Os especialistas da Thales revelam suas análises e conclusões quando se trata de cibercrime, uma rede extremamente perigosa com um grande número de grupos de hackers. Interações e movimentos permanentes unem o cibercrime organizado e o trazemàvida. Sem proteção ou meios proativos, os ataques dos cibercriminosos produzirão cada vez mais danos. Para enfrentar suas técnicas em constante evolução, é fundamental um melhor entendimento da ameaça; ferramentas e serviços avançados, como Threat Intelligence, são um recurso para antecipar essa ameaça o máximo possível.

Ao interagir como uma rede de grupos de cibercrime, os criminosos cibernéticos são capazes de funcionar de forma cada vez mais eficaz: cada grupo é especializado em uma área específica e os diferentes grupos colaboram para se beneficiarem da experiência uns dos outros. É essa especialização que torna os criminosos cibernéticos mais eficazes, permitindo que eles se concentrem em um determinado tipo de ataque, enquanto aproveitam o know-how da rede.

Vários grupos de ciberataques mais tecnicamente aptos, com estratégias de comprometimento altamente sofisticadas e recursos financeiros substanciais, lideram esta organização. Estes são os “Big Game Hunters”, cujas táticas, técnicas e procedimentos (TTPs) e infraestrutura técnica são semelhantes a determinados grupos de hackers patrocinados pelo estado. Eles atacam alvos específicos, como instituições políticas e grandes empresas, usando ransomware para exigir grandes somas.

Para atingir seus objetivos, os criminosos cibernéticos usam uma combinação de conhecimento técnico e o pânico que semeiam nas empresas e instituições. O pânico pode ter um impacto devastador em termos das consequências de um ataque. É vital não ceder a ameaças ou chantagens. Os alvos dos criminosos cibernéticos são extremamente diversificados e oportunistas; qualquer organização pode sofrer com isso. Os especialistas da Thales, recomendam enfaticamente ter em mente que qualquer pessoa pode ser um alvo, deve estar preparada e adotar uma estratégia de crise cibernética clara e detalhada.

Surpreendentemente, 60% dessas enormes receitas vêm de mercados ilegais online, 30% de roubo de propriedade intelectual e segredos comerciais e apenas 0,07% de ransomware que, no entanto, causam os maiores danos. Com receitas estimadas em até US$ 1,5 trilhão por ano– significando 1,5 vezes mais de receita (em média anual) do que a falsificação e 2,8 vezes mais do que o comércio de drogas ilegais – esta rede é todo um sistema econômico que agora pode colocar em perigo qualquer empresa ou organização com graves consequências para a economia mundial.

Sobre a Thales

Thales (Euronext Paris: HO) é um líder global em tecnologia que está construindo o futuro do mundo, hoje. O Grupo fornece soluções, serviços e produtos aos seus clientes nos mercados aeronáutico, espacial, transporte, identidade e segurança digital e defesa. Com 83 mil funcionários em 68 países, a Thales gerou receitas de € 19 bilhões em 2019 (em uma análise pro forma incluindo a Gemalto por 12 meses).

A Thales está investindo principalmente em inovações digitais – conectividade, Big Data, inteligência artificial e cibersegurança – tecnologias que apoiam negócios, organizações e governos em seus momentos decisivos.

FONTE: METROPOLES

Previous post Hacker ataca sistema de cobrança de água na região de Ribeirão
Next post Por que você não deve usar uma VPN gratuita

Deixe um comentário