Fake News é nomeada maior preocupação global de crimes cibernéticos

Views: 56
0 0
Read Time:1 Minute, 48 Second

O cibercrime é uma das maiores preocupações da população global, com as notícias falsas ocupando o maior ranking entre esses riscos, de acordo com um novo relatório da Lloyd’s Register Foundation.

A instituição de caridade britânica, financiada pela organização de serviços técnicos e empresariais homônima, divulgou esta semana os resultados de sua primeira Pesquisa Mundial de Risco, compilada a partir de entrevistas com 150.000 pessoas em 142 países.

Cerca de 71% dos entrevistados citaram o crime cibernético como uma de suas maiores preocupações, com quase todos os usuários da internet com medo de algum aspecto disso.

A maior preocupação nessa categoria foi a fake news (57%), que veio antes da fraude online (45%) e cyberbullying (30%). Sem surpresa, os resultados foram ligeiramente diferentes dependendo do país e região.

Por exemplo, no Reino Unido mais entrevistados estavam preocupados com notícias falsas (62%) e fraude online (69%). Outros países da Europa Ocidental eram ainda mais propensos a se preocupar com fraudes na internet, incluindo Portugal (78%), França (74%) e Espanha (71%).

As preocupações com o cyberbullying foram mais fortes nas economias de baixa renda graças à sua grande população de jovens. Cerca de um terço (34%) dos entrevistados entre 15 e 29 anos disseram que se preocupam com o bullying online, em comparação com cerca de um quinto (21%) daqueles com 65 anos ou mais. Mulheres (32%) estavam um pouco mais preocupados do que os homens (28%) a este respeito.

O CEO da Lloyd’s Register Foundation, Richard Clegg, disse que a pesquisa representa as opiniões de 98% da população mundial, incluindo muitas pessoas cujas vozes nunca foram ouvidas antes.

“Saber o que as pessoas pensam nos ajudará a identificar lacunas entre os pensamentos das pessoas sobre o risco e suas experiências de ameaças à sua segurança”, acrescentou.

“Podemos usar esses dados para trabalhar com as comunidades e capacitar as pessoas a agir mais propensos a reduzir os danos — que salvam vidas e as ajudam a se sentirem seguras.”

Outra pesquisa global divulgada esta semana, do Fórum Econômico Mundial (WEF), também citou as ameaças cibernéticas como uma das maiores preocupações, desta vez para os líderes empresariais.

FONTE: INFOSECURITY MAGAZINE

Previous post 3 maiores fatores em custos de violação de dados e como reduzi-los
Next post Gangue de ransomware agora usando falha crítica do Windows em ataques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *