Trabalho remoto permanente coloca maior pressão sobre as equipes de TI

Views: 115
0 0
Read Time:3 Minute, 45 Second

82% dos líderes de TI acham que sua empresa corre maior risco de ataques de phishing, e 78% acreditam que estão em maior risco de um ataque interno, quando os funcionários estão trabalhando em casa, de acordo com um relatório da Tessian.

A pesquisa aborda os desafios de TI e segurança que as empresas devem superar para oferecer uma experiência de trabalho remota segura,a longo prazo.

Equipes de TI sob pressão

Ele revela que 85% dos líderes de TI acreditam que o trabalho remoto permanente coloca maior pressão em suas equipes, enquanto 34% estão preocupados que suas equipes sejam esticadas demais em termos de tempo e recursos. O relatório explica por que isso pode ser:

  • Combate ao aumento das taxas de ataques de phishing: Metade das organizações sofreu um incidente de segurança no período de trabalho remoto entre março e julho de 2020. Metade desses incidentes foram causados por ataques de phishing – tornando-se a principal causa de incidentes de segurança durante este período. 30% dos líderes de TI também relataram um aumento nos ataques de ransomware entregues por phishing, enquanto 24% relataram um aumento nos ataques de vishing (phishing de voz), em comparação com os cinco meses anteriores.
  • A falta de visibilidade do Bring Your Own Device (BYOD) corre riscos: 78% dos trabalhadores remotos que trabalharam em seus dispositivos pessoais durante o período de bloqueio entre março e julho de 2020 disseram que receberam e-mails de phishing, seja em seu trabalho ou caixas de entrada pessoais. Mais preocupante, 68% disseram que clicaram em um link ou baixaram um anexo dos e-mails de phishing que receberam em seu dispositivo pessoal.
  • Funcionários que se conectam ao Wi-Fi público: 53% dos líderes de TI estão preocupados que os funcionários se conectem ao Wi-Fi público quando trabalham remotamente. Suas preocupações são justificadas; 58% dos funcionários dizem que consideraram se conectar ao Wi-Fi público ou já o fizeram.
  • Increased use in email and messaging apps: 57% of employees said they were more reliant on email as a primary channel to stay connected with colleagues and customers when working remotely. In fact, data shows a 129% increase in email traffic at the start of lockdown (March-April 2020). This creates a bigger opportunity for hackers to carry out phishing and email impersonation attacks.

To combat these concerns, 43% of IT leaders are looking to upgrade or implement new BYOD policies and 58% said they will introduce more training. However, over a third of companies admitted they didn’t provide additional training to educate their staff on remote working risks at the start of the lockdown. And for those that did deliver additional training, nearly one in five workers did not attend.

Remote work looks set to stay

The report suggests updating policies and implementing new approaches to cyber training now will help businesses in the long term, as remote work looks set to stay. In fact, 89% of employees said they do not want to work from the office full time, post-pandemic, while 35% of respondents said they would not consider working for an employer that did not offer remote working in the future.

Tim Sadler, CEO, Tessian comments: “We saw last week how changes to how and where people work can happen overnight. But despite all the changes, one thing remains the same – the need to keep people safe. The government’s U-turn on work from home is critical to protecting the health and safety of employees and businesses also have a duty to ensure their staff can work from home effectively and securely.

“Business leaders must, therefore, understand the strain that remote working puts on IT teams and address the risks people are exposed to. Legacy security protocols are no longer equipped to protect distributed workforces and provide visibility into the behaviours of employees who rely on personal devices, risky channels like email, and public Wi-Fi to get their jobs done.

“Conscientizar as pessoas sobre as ameaças e educá-las sobre práticas seguras de trabalho remoto é um primeiro passo importante. Os líderes de TI devem, então, encontrar maneiras de aliviar a pressão sobre suas equipes, olhando para soluções que possam fornecer maior visibilidade ao comportamento dos funcionários, prever e prevenir ameaças e automatizar tarefas manuais. Essa abordagem humana para a segurança é fundamental para que as empresas prosperem em um mundo onde o trabalho remoto se torna a norma.”

FONTE: HELPNET SECURITY

Previous post QNAP diz aos usuários do NAS para atualizar firmware para evitar novo tipo de ransomware
Next post Relatório: Caçando Malware Evasivo

Deixe um comentário