Perigo no pulso: relógios inteligentes para crianças podem ser invadidos por hackers, diz ESET

Views: 72
0 0
Read Time:1 Minute, 36 Second

Os relógios inteligentes podem ser uma ótima opção para monitorar atividades físicas e até mesmo como entes queridos estão, visto que alguns deles, como o Huawei Children Watch 3 Pro Super com 4G e GPS, pode permitir chamadas de voz e vídeo e ainda dizer onde seu filho ou filha está, proporcionando mais segurança para a criança.

Entretanto, um estudo realizado pela Universidade de Ciências Aplicadas de Münster, na Alemanha, mostrou que essa nova forma de manter os pais por perto o tempo todo pode aproximar as crianças de cibercriminosos. Isso porque várias falhas de segurança foram descobertas em dispositivos do tipo em estudo realizado em parceria com a ESET.

A grande preocupação está no fato de que esses relógios muitas vezes tem câmeras, microfones, podem enviar e receber mensagens de texto e inclusive fornecer a localização da criança em tempo real, o que pode ser muito perigoso nas mãos de um hacker.

Dentre as fabricantes analisadas pelo estudo estão:

  • Starlian
  • JBC
  • Polywell
  • Pingonaut
  • ANIO
  • Xplora

Segundo a ESET, o grande problema está na falta de criptografia e mecanismos de autenticação nas informações enviadas entre os relógios, os servidores da fabricante e os celulares dos pais pelo aplicativo dedicado aos smartwatches.

Essa falha possibilita que criminosos espionem a comunicação entre o usuário do relógio e os responsáveis, enviem mensagens se passando por um deles e até utilizem sensores como a câmera, microfone e o GPS do dispositivo para obter e até alterar informações sobre a criança como seu local atual, por exemplo.

Após relatar aos fabricantes o ocorrido algumas deles tomaram medidas para evitar possíveis incidentes. A JBC e Polywell já corrigiram suas falhas de segurança em servidores e aplicativos. A Pingonat informou que adicionará criptografia TLS em seus próximos modelos a serem lançados.

Vale dizer que, por enquanto, nenhuma falha foi relatada em modelos mais populares como Apple Watch ou smartwatches da Samsung, que recebem atualizações contínuas para garantir uma segurança aprimorada.

FONTE: TUDOCELULAR

Previous post Ataque de ransomware afeta rede de hospitais nos EUA
Next post Novo malware bancário brasileiro se espalha pela Ásia e Europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *