Ataque cibernético maciço nos Serviços De Saúde Universal acaba com operações clínicas e financeiras

Views: 59
0 0
Read Time:3 Minute, 19 Second

A gigante da saúde Universal Health Services Inc., um dos maiores sistemas de saúde dos EUA, está enfrentando sérias consequências de um ataque cibernético ocorrido na manhã de domingo.

“Embora este assunto possa resultar em interrupções temporárias em certos aspectos de nossas operações clínicas e financeiras, nossas instalações de saúde aguda e de saúde comportamental estão utilizando seus processos de backup estabelecidos, incluindo métodos de documentação offline”, disse a UHS em comunicado.

“O atendimento ao paciente continua sendo prestado de forma segura e eficaz.”

A UHS, que atende cerca de 3,5 milhões de pacientes anualmente em 400 unidades de saúde nos EUA e no Reino Unido, diz que nenhuma evidência neste momento indica que quaisquer dados de pacientes ou funcionários foram acessados, copiados ou mal utilizados, mas que o acesso do usuário aos seus aplicativos de tecnologia da informação com sede nos EUA foi suspenso e os médicos foram forçados a usar tinta e papel até mais um aviso.

Preços especiais Disponíveis em Monitores Médicos, Monitores de Pacientes, Gravadores, Impressoras, Mídia, Máquinas de Ultrassom e Câmeras.Isso inclui as principais marcas como SONY, BARCO, NDS, NEC, LG, EDAN, EIZO, ELO, FSN, PANASONIC, MITSUBISHI, OLYMPUS e WIDE.

É provável que o hack tenha sido perpetrado por Ryuk, uma ameaça avançada de ransomware que tem como alvo hospitais e outras organizações nos últimos anos, relata o TechCrunch, que disse que uma pessoa em um dos locais do hospital viu as telas do computador mudarem com texto que fazia referência ao “universo das sombras”, consistente com o ransomware Ryuk. “Todos foram orientados a desligar todos os computadores e não ligá-los novamente”, disse a pessoa. “Disseram-nos que levará dias até que os computadores voltem a funcionar.” As violações de dados e os hackings estão aumentando a cada ano e quase dobraram entre 2018 e 2019.

De acordo com um estudo da Healthcare Data Breach Statistics, 3.054 violações de dados de prontuários ocorreram entre 2009 e 2019, e 230.954.151 registros médicos dos EUA foram perdidos, expostos ou roubados nesse período.

“Hoje não há uma solução de segurança que pare de forma confiável todas as tentativas de ataque, e por isso os hospitais precisam implementar múltiplas camadas de segurança para melhorar suas posturas de segurança cibernética”, disse Ido Geffen, vice-presidente de produto da CyberMDX, ao HCB News em resposta à violação do UHS.

“Os níveis de segurança em camadas aumentam drasticamente a dificuldade de executar um hack bem sucedido.” Ataques cibernéticos também levaram à morte de pacientes, incluindo um ataque ocorrido no Hospital Universitário de Düsseldorf no início deste mês.

Depois que o sistema de TI do hospital foi hackeado e desligado, os funcionários não conseguiram recuperar informações sobre seus pacientes. O ataque de ransomware criptografou 30 servidores e levou a falhas no sistema que impediram a instalação de acessar dados, de acordo com o hospital, que foi forçado a fechar seu departamento de emergência. Embora uma mulher tenha sido transportada para outro hospital a 32 km de distância, ela morreu.

“Gangues criminosas organizadas e unidades militares substituíram hackers desonestos e individuais como os principais autores”, disse John Riggi, conselheiro sênior de Segurança Cibernética e Risco, da American Hospital Association, em julho. “Os esforços de aplicação da lei, embora louváveis, não foram capazes de conter a maré crescente desses ataques a hospitais e outras infraestruturas críticas. Consequentemente, políticas e abordagens de proteção contra ransomware precisam mudar nos níveis hospitalar, nacional e internacional, semelhante à forma como a abordagem para combater o terrorismo evoluiu após o 11 de Setembro.”
A UHS diz que “implementou extensos protocolos de segurança em tecnologia da informação e está trabalhando diligentemente com seus parceiros de segurança para restaurar suas operações de tecnologia da informação o mais rápido possível”.

Ann Childs, uma médica da UHS, disse hoje em um tweet no final da manhã:“Eu trabalho para a UHS um dia por semana.

Isso começou domingo AM e eles ainda estão offline.”

FONTE: DOTMED

Previous post Novo malware bancário brasileiro se espalha pela Ásia e Europa
Next post Pense duas vezes antes de usar o Facebook, Google ou Apple para fazer login em todos os lugares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *