Por dentro das iniciativas de segurança do Itaú contra fraudes na pandemia

Views: 119
0 0
Read Time:2 Minute, 10 Second

Maior bancarização e expansão de e-commerce fazem tentativas de phishing subir mais de 44% no período

Por Tiago Alcantara

Com a pandemia do novo coronavírus, um grande números de brasileiros precisou aderir a algum formato de conta digital para o recebimento do auxílio emergencial. O momento de necessidade não impediu que criminosos encontrassem formas de furtar o dinheiro de seus beneficiários. Reduzir fraudes e garantir a segurança dos consumidores é um dos desafios de bancos e outras empresas financeiras.

Com o isolamento social, os consumidores passam por um período de ajuste aos novos hábitos. Pagamentos sem contato, transferências digitais e o aumento no uso de e-commerce são apenas algumas das mudanças que refletem o momento. Um exemplo é a comemoração do Dia dos Pais, que teve um crescimento de compras digitais de 22,2%, de acordo com dados do Índice Cielo de Varejo Ampliado. Por outro lado, o varejo teve uma queda de 8,8%, na comparação com o mesmo período de 2019.

Segurança é educação

Uma máxima que qualquer especialista em segurança pode proferir é que não adianta investir somente em tecnologia para proteger os dados. Os consumidores, na maioria dos casos, são alvos fáceis se estiverem desinformados. Some a isso o momento de incerteza e temos uma combinação que pode causar um grande estrago.

“Queremos que o nosso cliente consiga se defender de abordagens fraudulentas, especialmente as que envolvem ‘engenharia social’, que consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele lhe forneça informações confidenciais, como códigos e senhas”, explica Richard Bento, superintendente de segurança corporativa do Itaú Unibanco.

De acordo com Bento, o setor bancário sofreu aumento de 44% nas tentativas de phishing — tipo de fraude na qual os criminosos se passam por bancos e companhias legítimas para roubar senhas e outros dados — quando durante a quarentena. “Isso não quer dizer que os criminosos se tornaram necessariamente mais sofisticados, eles entenderam que existe um contexto social que pode deixar as pessoas mais suscetíveis a acreditar que o seu banco está tentando ajudar remotamente”, comenta o especialista em segurança do Itaú.

Com este cenário em mente, o Itaú decidiu usar a comunicação para reforçar a prevenção de fraudes que se tornaram mais comuns durante o período. Até o momento, foram mais de 100 ações de conscientização, segundo Bento.

As iniciativas vão de envio de SMS com alertas, disposição de informações no site da instituição financeira, até a produção de vídeos com orientações. A campanha mais recente do banco mostra práticas que nunca devem ser utilizadas, como anotar a senha no cartão de crédito, por exemplo.

FONTE: IT FORUM 365

Previous post Falha da OAB deixou expostos dados de todos os advogados do país
Next post Usuários de redes sociais podem colocar seus bancos em risco

Deixe uma resposta