Estudo da Check Point revela que configurar a cloud pública é a maior preocupação das empresas

Views: 110
0 0
Read Time:2 Minute, 23 Second

A maioria dos inquiridos considera que o risco de existirem falhas de segurança em clouds públicas é mais elevado do que em ambientes tradicionais.

Mafalda Freire

O Relatório de Segurança Cloud de 2020 da empresa de cibersegurança revela as preocupações de segurança e os desafios das empresas em relação à cloud pública.

O estudo realizado online a 653 profissionais de segurança e TI em Julho de 2020 mostra que 75% dos inquiridos dizem estar muito preocupados ou extremamente preocupados em relação à segurança da cloud pública.

As principais ameaças à segurança da cloud pública são a configuração da plataforma cloud (68% – representando um crescimento significativo face ao relatório de 2019, no qual se registou apenas um terço);  o acesso não autorizado à cloud (58%), interfaces inseguras (52%) e o roubo de contas (50%).

Já entre as principais barreiras de segurança à adoção da cloud, 555 dos entrevistados referiram a falta de staff qualificado, factor que no relatório do ano passdo ocupava a quinta posição.  Além disso, 46% mencionaram restrições de orçamento, 37% questões relativas à privacidade de dados e 36% a falta de integração de segurança local.

Os profissionais de segurança consideram ainda que as ferramentas de segurança já existentes têm dificuldades de proteger clouds públicas: 82% dizem que as soluções tradicionais de segurança em ambientes cloud ou não funcionam de todo, ou garantem apenas funcionalidades limitadas, registando uma subida considerável, comparando com a percentagem de 2019 (66%).

Por outro lado, 52% dos inquiridos consideram que o risco de existirem falhas de segurança em clouds públicas é mais elevado do que em ambientes IT tradicionais e locais. Apenas 17% identifica um risco menor, e 30% acredita que os riscos são praticamente iguais nos dois ambientes.

Há também um aumento de orçamentos dedicados à segurança cloud. Assim, 59% das organizações esperam que o orçamento que dedicam à segurança cloud aumente no decorrer dos próximos 12 meses. Em média, as empresas disponibilizam 27% do seu orçamento de segurança para a segurança cloud.

«O Relatório demonstra que a migração das organizações para as soluções cloud não está a ser acompanhada pela capacidade das suas equipas de segurança de defender as empresas de ataques e falhas. As ferramentas de segurança já existentes fornecem apenas uma protecção limitada contra as ameaças à segurança da cloud, e as equipas muitas vezes não dispõem da qualificação necessária ao melhoramento dos processos de segurança», explica TJ Gonen, head of cloud product line da Check Point Software.

«Para eliminar as falhas de segurança, as empresas precisam de ter uma visão holística de todos os seus ambientes cloud públicos, e implementar soluções de proteção unificadas, automatizadas e nativas da cloud, estabelecidas em conformidade e acompanhadas por uma análise de eventos. Assim, conseguirão manter-se a par das necessidades do negócio ao mesmo tempo que garantem uma segurança contínua», acrescenta o responsável.

FONTE: BUSINESS IT

Previous post Cibersegurança: um raio-x de um tema crucial para as empresas
Next post Reddit sofre ataque hacker com mensagens pró Donald Trump

Deixe um comentário