Descobertas 16 aplicações relacionadas à COVID-19 com malware que infeta smartphones

Views: 146
0 0
Read Time:1 Minute, 27 Second

Numa altura em que as tecnológicas procuram encontrar soluções para ajudar a mitigar o efeito da pandemia da COVID-19, há também hackers à espera da oportunidade para enganar os utilizadores mais incautos através de malware em aplicações para smartphones. Segundo a especialista de segurança Check Point, existem 16 aplicações que aparentavam ser de confiança, mas escondiam uma série de programas maliciosos criados para roubar dados sensíveis dos utilizadores e gerar receitas fraudulentas a partir de serviços pagos.

A Check Point chama à atenção de que muitas páginas web relacionadas com a pandemia do coronavírus permitem o download direto de aplicações de serviços, o que pode ser um risco grave para os utilizadores. Nas últimas semanas registaram-se mais de 30 mil domínios relacionados com o coronavírus, muitos deles com conteúdos maliciosos, refere a especialista em segurança. “É fundamental extremar as precauções, já que os cibercriminosos são especialistas em obter proveito dos temas que ocupam a atualidade informativa para camuflar os seus ataques sob esta temática”, refere Eusébio Nieva, diretor técnico ibérico da Check Point.

Dos cinco tipos de malware móvel mais utilizadores para infetar as apps relacionadas com o COVID-19, os especialistas reforçam que estes provinham de novos domínios, e não das lojas oficiais de apps.

O primeiro tipo são os troianos bancários, apresentando-se como um software legítimo, mas depois de instalado oferece ao hacker o acesso remoto e controlo total do equipamento, assim como a respetiva informação armazenada. Algumas das apps estavam infetadas com o troiano Cerberus, que permite registar todas as ações com as teclas, incluindo credenciais de autenticação da Google e qualquer SMS recebida, até aqueles que são utilizados como dupla autenticação. Pode ainda controlar o equipamento por via remota, através do TeamViewer.

FONTE: SAPOTEK

Previous post Exclusivo: empresa deixa vazar CNHs, documentos veiculares e dados sensíveis de clientes
Next post O que deve fazer a sua empresa em caso de ‘ransomware’

Deixe uma resposta