O hacker vaza o código-fonte da GPU do Xbox Series X

Views: 325
0 0
Read Time:1 Minute, 31 Second

A AMD confirmou que um hacker roubou e vazou parte do código-fonte do seu processador gráfico personalizado do Xbox Series X, bem como de uma futura placa de vídeo baseada em PC. “Acreditamos que o IP de gráficos roubados não é essencial para a competitividade ou a segurança de nossos produtos gráficos [and]. Não temos conhecimento do agressor que possui qualquer outro AMD [intellectual property]”, explica uma declaração da AMD. “Estamos trabalhando em estreita colaboração com as autoridades policiais e outros especialistas como parte de uma investigação criminal em andamento”.

A AMD diz que foi contatada pela primeira vez sobre o roubo em dezembro de 2019, para que possamos adivinhar que a admissão desta semana não será uma surpresa para a Microsoft, fabricante do Xbox Series X. Mas este episódio é apenas o mais recente de uma série de vazamentos da AMD, gafes de marketing e outros problemas que devem confundir a gigante do software.

Por exemplo, em janeiro, a AMD inexplicavelmente publicou um vídeo com o objetivo de exibir as portas de expansão do Xbox Series X, mas a imagem usada não era precisa ou originária da Microsoft. E enquanto o Surface Laptop de 15 polegadas está disponível em uma variante AMD para os consumidores, essa versão é notável apenas por seu baixo desempenho e duração da bateria. De qualquer forma, o hacker que roubou o IP da AMD entrou em contato com o site Torrentfreak procurando ofertas pelo roubo.

Eles estavam buscando cerca de US $ 100 milhões de compradores em potencial e ameaçaram publicar todo o código-fonte on-line se um comprador não fosse encontrado. Desde então, a AMD entrou com vários pedidos de remoção do Digital Millennium Copyright Act (DMCA) contra sites como o GitHub, nos quais parte do código-fonte havia sido publicado.

FONTE: O DIARIO CARIOCA

Previous post Isolamento e home office levaram a aumento em ataques de ransomware no Brasil
Next post Aproveitar o potencial do disaster recovery em ambientes multi-cloud

Deixe um comentário