Hacker invade companhia aérea para voar em classe executiva de graça

Views: 140
0 0
Read Time:1 Minute, 15 Second

Um homem está sendo processado pela companhia aérea Brussels Airlines por sabotagem. Em 2016, o hacker invadiu o sistema da empresa e reservou três lugares na classe executiva de um voo que ia da Bélgica para Nova York.

Usando um programa específico, destinado aos funcionários da companhia, o hacker comprou as passagens e, em seguida, cancelou a pedido, solicitando o estorno dos valores pagos. No entanto, ele manipulou o sistema e fez com que, mesmo com o valor devolvido, as passagens continuassem válidas.

De acordo com a empresa, cada uma das passagens custa € 6.000 (cerca de R$ 30.900). Com o ataque, a Brussels Airlines teve um prejuízo de € 18.000 (cerca de R$ 93.000). Após a descoberta do ocorrido, uma ação foi movida contra o hacker.

O processo reivindica € 20.000 (cerca de R$ 103 mil) para cobrir os custos do voo, além de despesas extras. De acordo a um porta-voz da Brussels Airlines, a solicitação cobre “o custo das três passagens de classe executiva para Nova York, algumas taxas aeroportuárias dos itens cancelados e € 1.000 em taxas adicionais pagas para proteger os sistemas”.

No entanto, o advogado do réu argumentou que o valor de mil euros não deveria ser pago por seu cliente pois ele ajudou a companhia aérea mostrando uma vulnerabilidade no sistema da empresa. Mesmo assim, a decisão do valor a ser pago será definida em 30 de março, data prevista do julgamento.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Três maneiras de automação que ajudam na estratégia de proteção de dados
Next post Brecha permite invasão em celulares por meio de ondas ultrassônicas

Deixe um comentário